“Ninguém pode fugir de sua própria história”

Em especial quando se trata da história de um camaleão que passava os dias em um aquário sonhando com a vida de ator e, por um acidente, se vê em uma situação que precisa criar sua identidade. Na isolado vilarejo de Poeira, um ambiente desconhecido e interiorano, o descolado réptil Rango, diretamente da cidade grande, precisa ser alguém. E ele escolhe ser o heroi.

Seu LINDO! (errrr)


O filme já chamou atenção quando vi estampado no cartaz: “Do diretor de Piratas do Caribe“. E a experiência superou as expectativas. Cenas lindas, cheias de detalhes (no cenário, nas expressões dos personagens, etc) que realmente encantam.

Os personagens são um show a parte. Extremamente caricatos e bem construídos, eles te fazem rir, se emocionar e até sentir a dor daquele povo que padece com a falta de água. Da corajosa Feijão ao lendário Espírito do Oeste, é impossível não virar fã daquela turma.

A história se passa na fronteira entre o México e os Estados Unidos. Então o filme inteiro traz elementos desta cultura: o portunhol dos personagens, as roupas… Sem falar que a trilha sonora (by Hans Zimmer) é muuuito legal. Cheia de músicas mexicanas (que eu particularmente sou fã) e de faroeste, em grande parte entoadas por um grupo musical de corujas muito aleatório divertido. O grupo, devidamente caracterizado com el sombreros e falando o legítimo portunhol, narrava a história do camaleão e roubava a cena quando ninguém esperava.

Arriba!

Tá bom, tá bom… Eu sou tão legal que to disponibilizando pra vocês o link para fazer o download das faixas, ok? :)

E pra completar minha babação meu comentário sobre o filme, preciso lembrar a forte mensagem que é passada por aqueles bichos empoeirados. A história traz uma forte crítica aos políticos que agem de má-fé com os menos informados. Mostra como a crença em um Ser Superior é fundamental para a esperança de dias melhores – e isso é mostrado de maneira muito bonita quando os personagens dão as mãos e fazem algo que parece uma “prece”.

Sem falar que a vida dos habitantes de Poeira (marcada pela carência, uma cidade dominada por um ou dois coronéis, povo sem esperança) é um retrato não tão distante da nossa realidade. Né?

Algumas citações do filme que eu precisei anotar no celular pra não esquecer:

E sabe como eles sobrevivem a cada dia? Acreditando. As pessoas tem que acreditar em alguma coisa” (Prefeito)
São as ações que fazem um homem” (Espírito do Oeste)
Ninguém pode fugir da sua própria história” (Espírito do Oeste)

Enfim, é o tipo de filme que você precisa ter ali na sua estante, para assistir tipo umas 462 vezes. Sério.

Para não dizer que não tive nenhuma frustração, fiquei revoltada quando vi que só tinha o filme dublado. E mais revoltada ainda quando me dei conta que a voz de Rango é do meu querido Johnny Depp. É… Pra não dizer que não falei das flores, nem tudo são elas.

Mimimi :(

Preciso falar que dou nota 10? :)

Você também pode gostar de ler isso aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>