“Já chega de emagrecer”

Hoje, no banheiro feminino de um lugar qualquer, eu arrumava algum detalhe importante da blusa em frente ao espelho quando uma conhecida – diga-se de passagem, pouquíssimo conhecida – me veio com essa:

– Menina, já chega de emagrecer, né?

Pior que o comentário foi a cara de nojinho que ela fez, como se tivesse visto o próprio Esqueleto do He-Man à sua frente. Fiquei sem reação, dei um meio-sorriso e saí dali. Saí dali pensando no quanto as pessoas se acham no direito de opinar sobre nossa aparência.

Precisa emagrecer. Já chega de emagrecer. Ta na hora de engordar um pouco! Engrossa essas pernas. Suas pernas estão muito musculosas. Pinte esses cabelos brancos. Você pinta demais o cabelo! Ta precisando de um corte. Porque repicou tanto se cabelo reto está na moda? Você tem pouco peito! Você deveria tirar meio quilo de peito em cada lado.

O que me deixou feliz nisso tudo é que não me importei. Em outros tempos, eu daria uma explicação qualquer – afinal, vivemos de dar explicação a gente que não merece explicação, thats our life – e ok. Dessa vez, não.

Importo-me, porém, com essa invasão descabida. Com gente que, sem dar a mínima para quem sou e o que passo, parece se importar com meu exterior.

Me parece que o padrão estético mais detestável não é aquele ditado pela mídia; isso é muito mainstream. Padrão estético avassalador e perturbador mesmo é o padrão dos outros. Daqueles que opinam sem se importar. Das dezenas de pessoas que nos rodeiam e olham de cara feia por um ou outro motivo. E digo mais: antes um padrão imposto pela mídia de massa do que o imposto pela massa de gente que não ta nem aí.

o´pinioes

Você também pode gostar de ler isso aqui

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>