God bless Capitão América!

Steve era o típico cara bulinado que sofria bullying na escola. Fraquinho, magrelo, desengonçado e sem nenhuma habilidade com as mulheres. Seu amigo Buck Barnes era exatamente o oposto: chamava atenção por seu porte físico e seu charme atraia as marias-uniforme senhoritas. Os dois tinham se alistado para lutar na guerra contra os nazistas. Barnes fora convocado. Mas o Exército havia negado a entrada do franzino (e asmático) jovem do Brooklyn.

“I WANT YOU!”

A frase estava estampada em um pôster com o convidativo dedo do Tio Sam apontando na direção de Steve. Resolveu dar a cara à tapa mais uma vez.

EI VC AÍ VEM K

Um carismático senhor, que observava de longe a futura tentativa fadada ao fracasso do rapaz, conseguiu ver nele o que estava bem escondido por trás de sua aparência. Achou aquilo que era fundamental para um experimento que resultaria na esperança da América.

capitao america

E assim começam as aventuras do ex-fracote-que-virou-um-gostosão-fortão: O Capitão América.

O filme, que dura agradáveis 124 minutos, é um verdadeiro show de fotografia e efeitos especiais fantásticos. Tive as mesmas vertigens que tive em Transformers 3, mas dessa vez em cenas mil vezes mais legais. E nada cansativas, como é o caso dos amigos carros-robôs.

Saí do cinema pensando que se Meia-Noite em Paris é uma ode à arte e à Cidade das Luzes, Capitão América é uma ode ao americano*; ao cidadão valente e capaz de abrir mão de sua vida para lutar por sua Pátria.

BETTER THAN EXPECTED

A propósito, esse lance do amor enlouquecido que o americano tem por sua Pátria foi explorado de uma forma bem bacana, a exemplo de quando o Capitão ainda era um personagem de musicais que dava autógrafo às criancinhas. A propósito, o herói dos palcos precisou passar por uma segunda transformação para se tornar o herói dos americanos.

Talvez por não ter lido os quadrinhos, o final foi bem surpreendente para mim. Teve uma hora que eu pensei: “Putz, lá vai… tudo de novo.” LOL

De quebra, tem um romance bonito na história. Só me resta saber quem ali era (é/será/não sei mais) o homem da relação. HAHAHAHA Amigo, não quero imaginar uma DR daquele casal.

É O QUE AMOR ??!?!?! REPETE PRA VC VER

Enfim, se você curte um filme de ficção-ação, esse vale muito a pena, mesmo se você não for um super fã do Capitão dos quadrinhos.

– — –

* Woody Alienados Allenistas de plantão: Longe de mim estabelecer quaisquer comparações desse filme com qualquer um do Woody Allen. #WoodyForever

Cotação: quatroestrelas

Você também pode gostar de ler isso aqui

2 Comments

  1. Achei foda a cena que aparece a primeira hq do Capitão America no filme, ele socando o Hitler é clássico dos clássicos

    e tá ligado que o corpo dele raquitico é de outro ator neh? Ele não conseguiu emagrecer o suficiente e ficar bombadão em seguida. Só Cristian bale tem esse poder…

    e bandeiras dos EUA enrolada em herois me cansa pra caralho, mas até que o uniforme ficou bemm melhor do que o original, ficou até um pouquinho másculo

    o que estragou esse filme foi as cenas de luta muito rápidas. Podia ter sido o melhor filme dos Vingadores, mas esse título ainda fica com os filmes do Iron Man

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>